terça-feira, outubro 20, 2009

Aranha

Era uma vez um homem que enquanto passeava se deparou com dois bandidos que o começaram a perseguir.
O homem, ao ver que estava a ser perseguido, começou a correr e, saindo da estrada, escondeu-se num atalho que dava acesso ao mato.
Desesperado o homem começou a rezar dizendo:

" - Senhor, por favor fazei com que dois anjos desçam dos céus e tapem a entrada deste atalho para que os bandidos não me descubram e façam mal."

Nesse momento, o homem ouviu os bandidos a aproximarem-se do atalho onde se encontrava e viu que na entrada apareceu uma minúscula aranha e começara a tecer uma teia na entrada do caminho.
Vendo a aranha, o homem, mais desesperado do que nunca, fechou os olhos e começou a rezar novamente:

" - Senhor, meu Pai pedi-vos anjos e não uma aranha. Por favor, Senhor, faz com que na entrada deste atalho se erga um muro alto e forte que impeça os bandidos de me alcançarem."

Após a oração, o homem abriu os olhos e esperando ver um muro, viu apenas a aranha que continuara a tecer uma teia na entrada do atalho. Então desesperado e sem qualquer esperança, deixou-se ficar no mesmo local esperando apenas a chegada dos bandidos que o queriam matar.
Ao se aproximarem do atalho, o homem ouviu um dos bandidos a dizer para o outro:

" - Vamos procurar aqui neste trilho..."

E o outro respondeu:

" - Por aí não. Não vês que até tem teias de aranha. De certeza que não passou aí ninguém. Vamos procurar nos caminhos mais à frente..."

terça-feira, setembro 22, 2009

It's a question of time

Diário de Bordo,


tenho sido difícil vir cá. Quer dizer tenho vontade de cá vir, mas ao mesmo tempo não sei bem por onde começar a escrever. ;)

O tempo também tem sido curtito. 

Enunciando que já sou quase oficilamente caloira!! :D


Inscrita, matriculada, "escrevida" na GRandiosa Muy Nobre Faculdade de Ciências da Universidade do Porto.


Futura (pseudo) Engenheira Alimentar. ;D

A praxe tem sido adoráve. visto que só lá pus os pés umas 3 vezes (acho eu).
 Não fui mais porque tenho tido outras coisas, mas também porque não tenho muito jeito para ser humilhada. :)


Pero....
 
Dura praxis, Sed praxis


Virtus Unita Fortius Agit (A virtude unida é mais forte)


quarta-feira, setembro 09, 2009

I have a feeling that tonight is gonna be a good night^

Hoje começo com a afirmação que me fez ter necessidade de escrever.

Tenho medo!
Não sei se é muito ou pouco. Não sei quantificá-lo, nem sei sequer se tal coisa existe.
Sei apenas que grandes projectos se aproximam e começo a ficar tremendamente ansiosa. Começo a colocar tudo o que construí até agora em causa, isso passa pelo que foi a minha vida até agora quase desde a minha existência.
Embora o pior de tudo ainda seja o receio e medo a tentarem se apoderar do meu domínio sentimental. Tantas dúvidas a assolarem e a palpitarem na minha cabeça; grandes pontos de interrogação surgem.
  • Será que serei "boa":
* amiga?
* amante?
* filha?
* irmã?
* companheira?
* catequista?
(...)
* pessoa?
Contudo uma vez uma pessoa muito especial disse-me: «Procura o essencial. Se fores capaz de o fazer, então estás no bom caminho. Tu sendo jovem não podes deixar que o medo tome conta de ti. Manda-o para bem longe.»
Analisando por esse "prisma" tomo consciência que cada um de nós é pedra essencial em caminho feito de muito movimento. Fomos e somos dotados de capacidades, dons e talentos que temos de os colocar a render em função de nós mesmos, dos outros e pelas coisas.

«Servi uns aos outros, cada um conforme o dom que recebeu, como bons despenseiros da multiforme graça de Deus.» (1ª Pedro 4:10)


segunda-feira, setembro 07, 2009

sexta-feira, setembro 04, 2009

(Re)começo...

[a esta hora já devia estar a dormir a algum tempo, mas andei a saltar de blog em blog e deu saudades de clicar nas teclas no teclado em jeito de escrita, e não de pesquisa]

Como sugere o título deste "post(e)" estou a preparar-me para o (re)começo de mais um ano.

Tenho andado a recuperar o fôlego, energias, paciência, sorriso, persistência, coragem, sinceridade, respeito e, sobretudo o amor.

[Amor explica-se no sentido de aprender a aceitar melhor as pessoas, acontecimentos, coisas, acções]

Avizinha-se mais um ano cheio de muito trabalho pela frente; se por um lado a faculdade que irá dar muitas dores de cabeça, também a catequese ou grupo de jovens irá tirar algumas horas de sono.

Tudo isto somado dá um grande volume, mas, para além disto, existem outras vertentes que não podem ser esquecidas: Família, Amigos, a ele e claro a minha Flora Juju (para quem não sabe é a minha tartaruguinha. xD Acho que ela mais que ninguém me irá "ouvir" muitas vezes)

A Vanessa quer estar em todas as frentes de "combate". É daquelas pessoas que gosta de estar em todas como se costuma dizer na corrente popular.

Nada se lhe pode escaparda vista. Tudo terá de andar nos seus eixos até ao final da linha.

Quando chegar ao destino aí a carga poderá ser descarregada.

Isso será estará pensar em férias novamente. Tão cedo não saberei inteiramente o que isso significa.

Até alcançar esse destino existem muitos degraus ainda por pisar, subir, descer, escorregar, tropeçar, às vezes até cair e fazer algumas feridas. Só resta erguer-se, levantar a cabeça e continuar para a frente. Diz-se que para a frente é que é o caminho. Também se diz que o caminho se faz caminhando*

Todos os assuntos e actividades arrastam consigo as suas questões que têm de ser resolvidas sempre que haja disponibilidade.

Basicamente nos próximos tempos o tempo terá de ser dividido entre faculdade (estudo, trabalhos, praxe, actividades), casa (família), ele (ser "feliz"), amigos (revitalizar), Flora (brincadeira), catequese (dar testemunho), acólitos (servi-Lo), Mãos Amigas (serviço para a comunidade), Geração Viva (crescer).

Tudo exigirá uma grande quantidade de mim. Assumo que não sei se estou à altura dos desafios que estão mesmo quase a tocar à campainha, mas farei para corresponder às expectativas que depositarem em mim.

Darei o meu melhor; darei essencialmente o que tenho de mim a oferecer aos outros.

Os meus dons irei pô-los a render.

«Eu não dou todas as virtudes na mesma medida a cada um. Existem virtudes que eu distribuo ora a um ora a outro. A este a caridade; a outro a justiça; a este a humildade, àquele uma fé viva. Distribuí muitas graças e virtudes, espirituais e temporais, com tal diversidade que a ninguém por si só concedi todo o necessário, para serdes obrigados a usar de caridade uns para com os outros. Quis que todos tivessem necessidade uns dos outros e fossem meus ministros na distribuição das graças e liberalidades que de mim receberam. »

Jesus, antes de partir, confiou-nos o seu maior dom, a sua própria vida. É este dom que somos chamados a partilhar com os outros, o dom da vida, segundo as nossas capacidades. É a vida de Jesus em mim que devo fazer render, que devo comunicar para o bem de todos. É minha responsabilidade pôr a render este dom que me foi confiado. Deus tem uma confiança ilimitada em nós. Antes de nos pedir seja o que for, dá-nos muito mais. É dar-se a si mesmo, segundo as suas capacidades e dons recebidos.



Frase que me marcou esta semana : Ama e faz o que queres! , ou outras variantes também podem existir desde que tudo passe pelo amar o que te rodeia (amigos, família, plantas, animais, toda a criação). Se acontecer de amares o que está à tua volta então poderás fazer tudo o que quiseres dessas mesmas coisas ou pessoas. Irão estar receptivas a ti.
Atinge-te, para te superares

sexta-feira, agosto 07, 2009

A admiração é a primeira de todas as paixões


Quando o primeiro contacto com algum objecto nos surpreende e o consideramos novo ou muito diferente do que conhecíamos antes ou então do que supúnhamos que ele devia ser, isso faz que o admiremos e fiquemos espantados com ele.
E como tal coisa pode acontecer antes que saibamos de alguma forma se esse objecto nos é conveniente ou não, a admiração parece-me ser a primeira de todas as paixões.
E ela não tem contrário, porque, se o objecto que se apresenta nada tiver em si que nos surpreenda, não somos emocionados por ele e considerá-mo-lo sem paixão.


Come ti piace lo mio bambolo «3

* Sintonia
* Harmonia
* Essência
* Envolvência
* Admiração
* Complementaridade
* Entendimento
* Compreensão
* Respeito
* Entrega
* Humildade
* Felicidade
* Paixão
* Conexão
* Vida em mim
* Liberdade
* Dar-se
* Simplicidade
* Expressividade
* Coragem
* Persistência
* Brilho
* Sonho
* Surpresa
* Força
* Aliança
* Alegrar


* Uma história para viver ...

quarta-feira, julho 22, 2009

Let's do the things we normally do

"Please don't say how proud you are
Let's do the things we normally do
I'll say see you later
You'll sing a line or two
From your rebel songs sung out of tune
Don't hold my hand for longer
than you need to"

quinta-feira, julho 16, 2009

A vida é...

A vida é uma oportunidade, usa-a
A vida é beleza, admira-a
A vida é prazer, goza-o
A vida é sonho, concretiza-o
A vida é desafio, aceita-o
A vida é dever, cumpre-o
A vida é viagem, finaliza-a

A vida é um jogo, joga-o

A vida é cara, valoriza-a
A vida é riqueza, protege-a
A vida é amor, prova-o
A vida é um mistério, desvenda-o
A vida é promessa, cobra-a
A vida é sofrimento, domina-o

A vida é uma canção, canta-a

A vida é luta, enfrenta-a
A vida é uma tragédia, contente
A vida é uma aventura, ousa-a
A vida é viver, vive
A vida é felicidade, cria-a
Por favor não a desperdices, ela é valiosa.

By: Madre Teresa de Calcutá
(Com algumas alterações)

O que é a vida?

O que é isto de vida?
Algum dom?
Alguma hipótese de marcarmos alguém?
Chance, quiçá de ser feliz?
Sofrer?
Viver angústias, medos, tristezas?
Vamos e/ou conseguimos mudar o mundo?
Sorrisos, pensamentos, alegrias?

Em Biologia encontramos algumas definições tais como:
  • A qualidade que distingue um ser funcional e vital de um corpo não vivente ou pura e simplesmente da matéria química.
  • O estado de um complexo material ou indivíduo, caracterizado pela capacidade de executar certas funcionalidade incluindo metabolismo, crescimento e reprodução.
  • A sequência de experiências mentais e físicas que constituem a existência de um indivíduo.

O que nos diz a Bíblia?

«"Aquele que tem o Filho tem a vida; aquele que não tem o Filho de Deus não tem a vida".» (I Jo 5:12.)

A vida cristã de uma pessoa inicia com o encontro pessoal com Jesus Cristo e não poderia ser de outra forma. Muitos factores contribuem para o encontro de uma pessoa com Cristo. A base para o nosso encontro pessoal com Cristo é crer no relato de que Ele veio ao mundo para morrer por nossos pecados, foi crucificado, ressuscitou, está vivo e à nossa disposição e que através do Espírito Santo passa a viver dentro de nós. Recebemos a vida eterna quando atendemos ao convite de Jesus, "Vinde a mim todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei" (Mt 11:28), decidimos recebe-Lo, obedecer-Lhe e segui-Lo.

Citação extraordinária de Italo Macini num dos seus últimos livros, Tornino I Volti ( O regresso dos rostos):


« "O nosso mundo, para ai viver, amar e nos santificarmos, não nos foi dado por uma teoria neutra do ser, nem pelo acontecimento da história ou pelos fenómenos da Natureza, mas foi-nos dado pela existência desses extraordinários centros de alteridade que são os rostos, rostos para olhar, para acariciar e para respeitar”.»

quinta-feira, julho 09, 2009

"Serenata de Amor"


«Tudo o que é bom dura o tempo necessário para ser inesquecível.»


«Amar não é apoderar-se do outro para completar-se, mas se dar ao outro para completar. »

terça-feira, junho 30, 2009

O Jardim


Assim que o sol raiava pela janela do seu quarto, ele saía, pacífico, para ir contemplar o Jardim. Percorria a grande velocidade o caminho que o separava do velho portão de ferro e quando lá chegava agarrava-se a ele, sonhador, ficando a olhar através das grades para aquela imensidão verde, salpicada de todas as cores, de flores, animada pelo chilrear melódico de todos os pássaros, de todas as formas, com todas as cores. Depois desse momento de pasmo, quase convertido em espasmo, iniciava a sua série de infrutíferas tentativas com o objectivo de transpor o portão. Tentava saltar por cima, mas era demasiado alto; tentava passar por baixo, mas havia apenas uns centímetros; lateralmente, o gradeamento prolongava-se até ao horizonte e, uma por uma, todas as hipóteses de transpor aquele portão iam sendo descartadas. Tentou tudo menos colocar a mão na chave e rodá-la, porque lhe parecia demasiado fácil. Um dia fê-lo, a porta cedeu e ele fechou os olhos, expectante. Deu um passo em frente e com a inspiração profunda abriu-os de novo. Assim ficou, paralisado, largos minutos, boquiaberto, fitando à sua frente tudo quanto desejara tanto tempo! Mas à sua frente via apenas uma velha sucata, cheia de tudo quanto é indesejável: velhas máquinas, aparelhos, carros, tudo num tom negro e absorto numa atmosfera de trevas. Incapaz de acreditar naquilo que via, voltou atrás, fechou o portão e olhou de novo atrás dele. Viu novamente o belo do Jardim dos seus sonhos, só que desta vez, pela primeira vez, podia ver o seu rosto mergulhado nele. Era um espelho! Girou sobre si próprio e viu-se finalmente no Jardim da sua vida, o harmonioso espaço de amor, o espaço ideal para estar, para ser. E viu mais tarde que não estava ali sozinho! Havia muitas outras pessoas que se olhavam e que lhe disseram, seguras, que aquele Jardim era Deus!

quarta-feira, junho 24, 2009

O que é um ícone?




Um ícone é uma imagem muito simples, bela, expressiva, de cores mutio vivas... e que nos convida à contemplação, ao encontro e ao diálogo interior e espiritual com Deus. Ele é anúncio, caminho e confiança. Digamos: o veículo que nos pode levar a esse mundo maravilhoso da Fonte da Vida, do Ser.
Os orientais ficam diante dos ícones em contemplação, deixando-se impregnar por essa corrente espiritual que eles libertam.
Sabemos que a Bíblia é uma grande parábola do itinerário de Deus com os homens.
Esse itinerário não é regulado pela lei, mas vem descrito com imagens, narrações. São ícones que nos apontam o caminho a seguir.

sexta-feira, junho 19, 2009

Vida

E todo o mundo desaba
Em sorrisos de papel,
Capricho do céu que acaba
Por ser bondoso e cruel.

Cantiga de amor que soa
Na alvura da sua imagem,
Lágrimas que o céu entoa
Algodão da fresca aragem.

Então o arbusto relaxa
E também se faz cobrir
Por aquele manto que encaixa
Sobre as flores que hão-de vir.

Até o horizonte escuro
Pode ver a claridade
Dissolvendo em si o muro
Entre o sonho e a verdade.

Mas pára. Regressa e chuva,
A neve volta a ser rara
E a terra fica viúva
Da noiva que desposara.


É também assim a vida
Cheia de flocos de nada,

Memória sempre sentida

De quando nevou na estrada.


Vai para a neve minha alma

E delicia-te nela,
Que a vida em riste ou calma

Nunca deixa de ser bela
.

"Chocolate Quente"


Conta-se que um grupo de jovens licenciados, todos bem sucedidos nas suas carreiras, decidiram fazer uma visita a um velho professor da faculdade, agora reformado.

Durante a visita, a conversa dos jovens alongou-se em momentos sobre a crise, o imenso "stress" que tinha tomado conta das suas vidas e do seu trabalho. O professor não fez qualquer comentário sobre isso e perguntou se gostariam de tomar uma chávena de chocolate quente.

Todos se mostraram interessados e o professor dirigiu-se à cozinha, de onde regressou depois de alguns minutos, com uma grande chaleira e uma grande quantidade de chávenas, todas diferentes - algumas de fina porcelana, outras de rústico barro, ou simplesmente de vidro ou cristal, umas com aspecto vulgar e outras elegantes, mas caríssimas.

O velho professor disse aos jovens para se servirem à vontade. Quando já todos tinham uma chávena de chocolate quente na mão, disse-lhes:

- Reparem como todos escolheram as chávenas mais bonitas e dispendiosas, deixando ficar as mais vulgares e baratas... Embora isso seja normal, que cada um pretenda para si o melhor,
é isso a origem dos vossos problemas e "stress". A chávena por onde estais a beber não acrescenta nada à qualidade do chocolate quente. Na maioria dos casos é apenas uma chávena mais requintada e algumas nem deixam ver o que estais a beber. O que vós realmente queríeis era o chocolate quente, mas centrastes conscientemente a vossa atenção nas melhores chávenas...

Enquanto todos confirmavam, mais ou menos embaraçados, a observação do professor, este continuou.

- Considerai agora o seguinte: a vida é o chocolate quente; o dinheiro e a posição social são as chávenas. Estas são apenas meios de conter e servir a vida. A chávena que cada um possui não define nem altera a qualidade da vossa vida.


Por vezes ao concentrarmo-nos apenas na chávena, acabamos por nem apreciar o chocolate quente que Deus nos ofereceu.
As pessoas mais felizes nem sempre têm o melhor de tudo, apenas sabem aproveitar ao máximo tudo o que têm. Vivem com simplicidade. Amai generosamente. Ajudai-vos uns aos outros com empenho. Falai com gentileza.



Sobretudo, apreciai o vosso chocolate quente!